Como podemos garantir um microbioma íntegro, forte e saudável?

Nos últimos anos o tema do nosso microbioma tem ganhado uma proporção à altura da sua importância. Afinal, muitos já consideram o intestino como o principal órgão do corpo devido à quantidade e relevância de suas funções.


Você já deve ter ouvido falar que o intestino é nosso segundo cérebro, mas sabe o porquê? Além de termos meio bilhão de neurônios ali, produzimos mais de 30 neurotransmissores normalmente atribuídos ao cérebro (daí o início da palavra ser "neuro"). Dentre eles, está a tão valorizada serotonina, um dos neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem estar. O responsável por essa ligação entre intestino e cérebro é o NERVO VAGO, que desde nossa formação embrionária se encarrega de ser uma via de mão dupla entre esses dois órgãos. Por isso, para ter um cérebro funcionando a pleno vapor, é fundamental ter também um intestino muito bem cuidado e funcionando da melhor forma possível.

A principal chave para isso é cuidarmos do nosso microbioma, o conjunto de microorganismos que nos habitam. Dito de forma mais acurada, microorganismos que são parte do nosso ser, já que temos 10 vezes mais deles em nosso corpo do que das nossas células. E, muito além de apenas co-existirmos, somos amplamente influenciados por essas bactérias, fungos, vírus e protozoários que determinam inclusive alguns dos nossos comportamentos e suscetibilidade a doenças.

O Dr. Pedro Schestatsky, em sua participação na websérie Sistema Regenerativo da Floresta (Assista aqui) coloca de forma categórica sobre nosso microbioma: "precisamos diversificá-lo, regá-lo, adubá-lo, e trazer a floresta para dentro de nós é uma forma maravilhosa de fazer isso".

Na mesma websérie, o Dr Duprat complementa: "nosso microbioma tem, comprovadamente, relação com doenças como Alzheimer, Parkinson, autismo e doenças autoimunes. A saúde dos seres que nos habitam é tão importante quanto a saúde das nossas células"

E como podemos garantir um microbioma íntegro, forte e saudável? Essencialmente através de alimentos que fizeram parte da nossa evolução, por isso a Mahta buscou no macrobioma com a maior biodiversidade do mundo alimentos com os quais evoluímos, densamente nutritivos, puros, ricos, de verdade.

Pense que a cada refeição você escolhe cuidar dos seus pequenos seres ou castigá-los. Qual deles você tem escolhido?

Voltar para o blog